Tradução: Camila Cabello concede entrevista para o Official Charts

05 out 2017

Na tarde de hoje (05), foi publicado no site do Official Charts – organização profissional que reúne várias tabelas musicais oficiais do Reino Unido – uma entrevista exclusiva concedida pela cantora e compositora Camila Cabello, onde falou sobre o seu novo single Havana, seus artistas latinos favoritos, sobre o motivo de não ter podido tirar o seu sobrenome do seu nome artístico, a melhor música que escreveu até agora e também sobre o adiamento do seu primeiro álbum intitulado The Hurting. The Healing. The Loving.

Confira a tradução da entrevista da cubana para o Official Charts:

Camila Cabello sobre o sucesso de Havana e o status de seu álbum de estreia: “A vida é curta demais para ter medo”
Próxima a um sucesso global, Official Charts fala com a cantora sobre carreira solo.

Camila Cabello está perto de ter seu primeiro número 1 e, compreensivelmente, está muito entusiasmada com isso. “EU SEI!”, Ela grita com descrença enquanto lhe compartilhamos a notícia de que sua última faixa, Havana, está chegando seriamente perto do topo do Official Charts.“Estou tão feliz, estou na lua! Eu nunca estive tão alta antes. Estou tão feliz”, ela diz animada. Fora do Reino Unido, Havana está se formando para ser o primeiro grande sucesso solo de Camila desde que saiu do Fifth Harmony, depois dos pontos de destaque bem sucedidos dos feats Bad Things com Machine Gun Kelly e o smash do Major Lazer, Know No Better. Em termos de sua carreira solo, já ultrapassou seu primeiro single, Crying In The Club, na maioria dos países.

Nós falamos para ela que o sucesso inesperado de Havana (a música foi lançada no mesmo dia em que a sua faixa OMG, que inicialmente recebeu um impulso maior) é um caso claro de uma música encontrando sucesso simplesmente porque é uma ótima faixa. “Essa música é meio que… você sabe, tantas pessoas disseram que essa música não funcionaria”, ela explica, “mas eu e minha equipe sempre acreditamos nisso. É bom ter isso. Esta é a música desafiadora “.

A ascensão precipitada de Havana até o Official Charts também pode ser parcialmente atribuída à paixão reiniciada do Reino Unido pelo pop latino, embora, dada a herança cubana de Camila e a defesa contínua de artistas sul-americanos, pareça o tipo de música que ela deveria fazer, independentemente das tendências atuais. “Nós realmente escrevemos essa música em janeiro antes que toda essa explosão acontecesse”, ela explica. “O momento foi apenas uma coincidência. Na verdade, demorou alguns meses para terminar porque nós continuamos escrevendo de novo”.

Aos 20 anos, Camila teria dois [anos] durante o último ressurgimento mundial do pop latino; Quando Ricky Martin superou as paradas com “Livin ‘La Vida Loca” e Christina Aguilera lançou um álbum inteiro em espanhol chamado “Mi Reflejo”. Como ela se sente por fazer parte de seu segundo renascimento? “Parece um bom momento para essa combinação de culturas em todos os lugares. A influência da cultura latina está em todos os lugares agora… agora é um mundo menor do que quando eu estava crescendo”.

Já que você é amante de pop Latino, quais artistas desse gênero deveríamos prestar atenção que talvez ainda não tenhamos descoberto?
“Ooh nem me deixe começar a falar disso! Há uma banda de pop-rock que amo muito chamada Camila, coincidentemente. Por eles não posso tirar meu sobrenome, mesmo que eu realmente queira. Também tem a banda de pop-rock Maná e J Balvin, que obviamente está arrasando agora. Ouviu o remix com a Beyoncé? Loucura, né? Também uma banda cubana chamada Gente de La Zona.”

O sucesso de Havana mudou as coisas para o seu álbum de estreia? Originalmente seria lançado esse mês…
“Me fez querer escrever mais músicas e me mostrou que eu deveria confiar mais no meu instinto. Havana tem sido a música desafiadora, mas sempre pensei que era importante lançar músicas que me fazem sentir autêntica. Havana fazendo sucesso parece ser modo de dizer do universo, ‘continue fazendo isso, não tenha medo de correr riscos.'”

Quando podemos esperar o álbum então?
“Eu acho que será lançado no próximo ano. Você só tem uma chance de fazer um álbum de estreia e neste momento eu tenho tantas músicas pelas quais sou apaixonada. Sabe aqueles álbuns em que claramente há músicas que não são tão boas quanto os singles. Quero que todas as músicas tenham potencial de single.”

“Não consigo imaginar lançar algo que não seja isso. Por exemplo, não há nada que eu não faria por Havana – estou tão orgulhosa disso e quero me sentir assim com todas as músicas. Tenho um monte de músicas que já me sinto dessa maneira, mas pela quantidade que eu quero ter nesse álbum, quero me sentir dessa maneira sobre todas as músicas.”

Estamos falando que terminamos 80%?
“Eu acho que esse é um bom número.”

Enquanto está no telefone conosco agora, está passando por segurança de aeroporto. Basicamente, ninguém pode te acusar de não trabalhar duro.
“Sim, isso é algo que eu… Acho que é uma qualidade tão importante. Sabe aquela citação que diz que sucesso é 10% talento e 90% trabalho duro. Realmente acredito nisso. Conheço pessoas extremamente talentosas que ficaram para trás porque não queria trabalhar muito.”

“Pra mim, eu amo isso. Amo o que faço e várias vezes digo a mim mesma uma coisa que vi na Oprah. Era tipo não faça algo pelo resultado, faça pelo trabalho e porque quer ter algo ótimo no seu portfólio, por você. Amo provar que posso eu mesma fazer as coisas, e não outra pessoa.”

 Qual a melhor música que escreveu até agora?
“Tem uma música que escrevi chamada I’ll Never Be The Same. Amo músicas de amos e sinto que essa captura exatamente como é estar apaixonada. Isso, e também que foi a mais fácil de escrever. Terminei em uma hora. Comparado com Havana, que levou meses.”

Você está na indústria da música há cinco anos; Que conselho você daria ao seu eu de 15 anos?
“Para confiar em seu instinto e que a vida é muito curta para ter medo, então por que não se arriscar, sabe? Quanto o tempo acabar quando for mais velha, eu não quero pensar, ‘cara, por que eu estava tão nervosa? Eu deveria simplesmente ter feito’. É o que digo a mim mesma agora. Tenho 20 anos, mas meu maior medo é ser uma velha e pensar que eu desperdicei tanto tempo ficando assustada e me preocupando com o que as pessoas pensavam sobre mim.”

Tradução realizada pela equipe do Camila Cabello Brasil.
Twitter | Facebook | Instagram

Comments

comments

COMENTÁRIOS